terça-feira, 17 de março de 2009

Acaso-Descaso

Pensar a realidade a partir do agora
Tanto importa os mundos e submundos
Como se talvez, ou não
Existisse uma real existência
Coexisto em minha própria realidade
Sozinho, e por acaso me importo?
Às vezes
Acostumei-me ao acaso
Habituei-me ao marasmo e fossa
Aquela mais suja, mas que brota vida...
... De tanta matéria orgânica
Planto bananeira
Como se fosse possível meus braços suportarem meu peso
Sim, 95 quilos.

Sentir a realidade que me aprouver
Sentir o sentimento que me for mais conveniente
Sentir pessoas que me inspiram a ser mais
Sentir momentos que me forcem ou ajudem a destruir o tempo
Amar o que está em meu peito
Respeitar o círculo ao meu redor
Quem sou o que sou para dizer conhecer a vida e o cosmos?
Não sou homem nem mulher
Vivo numa realidade distante e arrogante
Como se estivesse acima de você e de mim.

5 comentários:

Nanda Assis disse...

gostei muito.

bjosss...

o que me vier à real gana disse...

Olá, boa noite!

E quem sabe não está?!

Víctor Hugo disse...

simplismente...
lindo cara!!
muito bom !!

Mary West disse...

Fantastico.

B. disse...

Realmente inspirador,viva apenas,questionar sua existencia e quem é,pode ser demais.