domingo, 29 de junho de 2008

Quase estático

Dormir pensando, acordar pensando
Dormir desejando, acordar eufórico
Dormir sonhando com o amanhã,
pois os dias têm sido de confusão emocional
Assim bem gay mesmo
Dormir e acordar numa rotina de stress
Até o momento em que eu te vejo
Ali, paradinha, sorrindo. Linda!
Parece que todo o modo “very fast” de antes foi-se embora
Agora o “very slow” se firma
Tudo ao meu redor quase pára
Quase estático
Como se ainda estivesse dormindo
Desejando
Sonhando
Pensando
Vendo como será o dia de amanhã
Assim, bem ansioso mesmo
Porque o meu coração dispara
Quando eu paro para observar
Observar sim, aqueles que agora insistem em querer fecharem-se
Seus grandes olhos, suas janelas da alma
Meu porto seguro
Assim quando eles apertam, me observando
Fazendo “bichinho”
Deixando-me encabulado
É tudo isso por acaso um sonho?
Eu estou pensando tanto que começo então a delirar?
Será que minha euforia por cantar uma coisinha fofa, ou não,
no seu ouvido é tão grande que confunde meus sentidos?
Fazendo os dias serem pesados
Anárquicos
Como se um abismo se fizesse entre nós
Mas mesmo assim ainda posso ver seus grandes olhos
Fazendo eles bichinho
Ou então sua leve boca fazendo bico
Um bico natural de menina pidona
Birrenta
Very fast
Very slow
Tudo ao mesmo tempo
Nossa como estou besta
Mas todo mundo há de passar um dia por esses momentos
É natural, até quem diz que não deseja, deseja sim

Acordo um dia após o outro pensando
Acordo um dia após o outro desejando
Sempre o melhor, o melhor da minha euforia
Tudo por um simples sorriso
Um cativante sorriso, você realmente está bem?
Independente do que acatares
Serei e sou seu braço direito e esquerdo
Sim, sim, eu sou brega, mas quem não é?
A anarquia teima em querer te pegar não é mesmo?

Um comentário:

Mary West disse...

Adorei a necessidade cheia de ardencia de suas palavras. :)