quinta-feira, 26 de junho de 2008

Oco

Oco por fora
Oco por dentro
Oco pelos lados
Oco por atrás e na frente
Oco acima
Oco abaixo
Oco
Oco
Oco
Fazendo ecos ocos
Ocos ecos
Ecos
Ecos
Cada vez mais ocos

Cansado
Desestimulado
Estressado
Subestimado
Se rendendo
Chorando
Por quê?
Oco
Cada vez mais oco
Oco preenchido de coisas sortidas de coisa alguma
Oco
Cada vez mais oco
Cavernas vazias emanando ecos

Oco
Oco
Oco
Vazio como balão sem ar
Sem substância vivente
Sem ar
Sem alma
Cansando
Sendo cansado
Estressando
E estressando também
Parece que não tem ninguém
Ninguém habita nesse corpo
Nesses tempos de “oquidão”.

Nenhum comentário: