sábado, 30 de agosto de 2008

Estoure Miólos

Se possível vá a uma praia, sente na beira do mar, sentindo ele te tocar. Se possível a noite quando os barquinhos ao fundo, esperando para atracar no porto mais parecem luzeiros ambulantes, dando aquele contraste romântico em meio a uma praia que infelizmente não se pode mais ir sozinho!

Observe como o mar te re-carrega as baterias, te distancia do mundo cotidiano e seco, chato, nostálgico onde cada um quer provar que seus problemas e sentimentos são mais importes e sensíveis! Apenas mande-os tomar no cú e sorrir para o diabo!

Vá a uma praia, sinta o mar, veja a espuma, desenhe algo na areia molhada, mesmo isso sendo cafona, mas repare quantas pessoas já não fizeram isso. Já não desenharam corações, ou declarações de amor, amigos fazendo pactos de fidelidade eterna, assim como casais apaixonados pelo momento sublime, pelo cheiro do mar, pela salubridade entrando em suas narinas cansadas de mentir ou extasiadas de tanto temor e tremor diante dos olhos daquela pessoa que no íntimo dos seus seres, seria a eterna!

Deseje o amor pelo outro, mas se por acaso este alguém te der uma punhalada no meio do coração destroçando o seu futuro, mande-o (a) tomar no cú também! Sorria companheiro (a), estou apenas tentando escrever um post otimista! Ame a espuma do mar, o que ela te proporciona, os desenhos na areia do mar, as risadas, os pactos, os amigos, a sinceridade, a inocência ali investida!

Não relute quando lhe chamarem para ir à praia, desfrute deste lugar mágico onde faz trazer à memória as mais ínfimas, pequenas, ou, grandes lembranças. Lembre-se dos bares que já passou, das conversas que já teve, dos beijos que deu, ou dos que gostaria de dar. Lembre-se das vezes em que você com certeza desejou tirar as roupas e sair por aí como se estivesse numa praia de nudismo.

Faça rodas de violão, cante suas cantigas preferidas, olhe nos olhos dos seus amigos, deseje-os eternamente, porque infelizmente eles não vão ser seus para sempre. Viva cada momentinho como se ele fosse o primeiro, não como se fosse o último, seria senso comum demais dizer isso! Apenas viva-o como se fosse o primeiro, porque o primeiro momento vivido sempre é o mais puro, é o feito de coração, onde a recíproca realmente é verdadeira.

Mas se preferir, vá a uma praia, sente na areia num fim de tarde qualquer, não escute nada, não se concentre em nada, deixe sua mente fluir, a deixe ir aonde você jamais desejou que ela fosse, sinta suas agonias, seus anseios, seus desejos pequeninos, até mesmo aqueles indiferentes, porém persistentes! No final de tudo, recolha suas tralhas, limpe os pés, pegue seus ônibus e volte para casa sorrindo!

Meus parabéns, bem-vindo (a) ao meu mundo, você está vivo, seja grato por isso!

Nenhum comentário: