sexta-feira, 22 de agosto de 2008

MariaJoana

Qual o otimismo meu bem que você procura?
Qual a razão que você quer se usufruir
Qual o sentimento ou impulso que te motiva brilhar
A abrir seus olhos e pedir para que entrem em você?

O que te dá o direito de sorrir
De gargalhar e ambicionar os dias do porvir?
Qual a sua força secreta
Se puder me empreste um pouco dela
A minha está abalada, fraca, fragmentada
Meus versos estão vazios, cansativos, pouco incentivadores
De algum tipo de desordem, libertinagem, de sexualidade
Como eu amo a putaria!

Qual a sua fórmula de poder, de razão?
Qual a raiz de sua amargura, de sua prepotência?
Porque ela tem se tornado a minha obsessão?
Eu li algumas vezes outros tantos versos sinceros
Os meus são falsos, mastigados, distorcidos, forçados
Diga-me qual a sua formula de sucesso?
Deus?

Qual animal te faz renascer todos os dias
Cada vez mais vistosa
Cada vez mais apertada
Sexualmente falando mais atiçada?
Qual feromônio você exala?
Que preenche minhas narinas me fazendo entrar em êxtase.

E tudo que eu tenho a dizer é:
"Vem a mim oh minha perturbadora companhia
Minha velha inimiga, meu pecadinho de estimação
Que me faz rir
Rir descontroladamente
Minha droga
Minha “Maria Joana”
O meu bem doce aos lábios
O corpo mais sadio, mais gostoso
Mais prostituto
Sabe... Eu definitivamente te amo
E outra coisa, não pense que é sobre você!”.

Um comentário:

Fernando disse...

bixo, ficou parecendo que esse post era sobre drogas =P