terça-feira, 23 de setembro de 2008

Nós precisamos de um pouco mais

Ao som de "Learning To Breathe" e "Lonely Nation" do Switchfoot, "Touch From Your Lust" do Ben Harper




Abro meus olhos
E eis que começa a disputa
Disputa interna
Estou cansado de poesias
Elas são melancólicas, bucólicas, rápidas demais
Prefiro a intensidade progressiva
Jamais materialista
Pois os meus olhos se abrem para um mundo
Mundo este bem conhecido
Que tenta não perder o enredo
Sozinho berro, berro para quem quiser ouvir
"Não me deixes aqui
Não me deixes antes que eu cumpra tudo que me foi proposto
Que eu ame e destrua tudo que me foi proposto
Pois o mundo é convencional e infrutífero demais
Eu sou o século dos desesperados
Que sentem em demasia
Que se tremem e alucinam com o simples raiar do dia.".

Minhas mãos se abrem
Cada palavra necessita ser externada
Criar vida, vários de mim necessitam viver
Sair por entre meus dedos em forma de palavras
Eles querem cair na eternidade
Pois eu sou eterno, eterno em você
Dentro dos teus olhos, mãos, boca, ouvidos... Sentidos
Rejeitado, despeitado e apunhalado
Mas os céus, o azul ds céus me regozijam
Pois eu sou o estigma que berra para quem quiser ouvir
"Não me deixes envelhecer
Não me deixes passar esta última fase da vida sozinho
Relembrando do primeiro e infrutífero amor
Pois eu falo e clamo para o azul dos céus
Que me escutem e não me deixem morrer
Sem antes recuperar a minha outra parte
Que se perdeu em algum momento da história.".

Meus olhos e mãos resolvem então acompanhar a boca e a mente
Resolvem cegar e fechar
Ficarem brancos, como nadar em leite
O branco absoluto é agoniante
Mas eu estou bem
Estou pronto para que você me pegue pelos braços
E atenda aos meus clamores
Pois a luz dos teus olhos me dão vida
Não fazem com que a melancolia caia sobre a poesia
Que já cansei de escrever, fazer, sentir... Viver.

Um comentário:

Mary West disse...

Nós sempre iremos querer muito, muito mais. :D