sexta-feira, 7 de novembro de 2008

Ilha

Mente com visão de burro
Somos produtos clonados de nós mesmos
Com danças
“Cultezas” em geral
Sorria para mim minha querida
Pois eu uso chapéu à moda antiga
Nada mais é inventado
Tudo é reciclado.

Eu e vocês, qualquer coisa
Nossas roupas, conceitos
Meu Deus como somos idiotas
“Quero isso ou aquilo...”
“Pois eu sou...”
“Eu ajudo...”
“O meu projeto...”
Nossos padrões de amor
Nossos padrões para amar
Nossos padrões para aceitar o amor
Sorria para mim minha querida
Ainda uso gírias das décadas de 50, 60 e 70
Tudo se renova usando calça boca-de-sino.

Coitado de mim se colocar todo o meu ser
Minha ciência naquilo que eu vejo e sinto
Um outro qualquer chegaria e re-paginaria o que eu fiz
Outros e tantos outros
Faz diferença?
Deus Pai eu sou um gênio
Gênio no meu mundinho paralelo
Cheio de “cultezas”
Sorria para mim minha querida
Eu sou à moda antiga
Mesmo birrento e egocêntrico
Eu ainda dou flores sem motivo
Eu ainda beijo a costa da sua mão
Peço aos teus pais para saíres comigo
Entre vários países que cada ser humano é
Não me encaixo em nenhum destes
Muito menos na nação que eu por ventura venha a ser.

5 comentários:

Camila :) disse...

ameeei :)

Mary West disse...

Vou fugir dessa ilha! :D

† nane-chan † disse...

Fantástico...

Víctor Hugo disse...

legal

Víctor Hugo disse...

opa to zuando !pegadinha do malandro!!
fico fodastico, porra chapeu a moda antiga e a tua kra meu veio!!
abraço budz!!