quarta-feira, 3 de junho de 2009

Idoneidade não programada

Ao som deO Novoda Medulla

 

 

Para começar, sou todas as emoções, boas e más, em uma só pessoa!

Sou como um jardim recluso, um jardim trancafiado a sete chaves e só tu podes ver, só tu podes tocar. Teus muros minha princesa são altos, tu és séria, mas não no semblante, digo séria no caráter, pelo menos assim me foi mostrado, e assim eu gostei. Minha princesa, em meio a tanta tempestade, tu consegues manter-se suave e serena diante da minha retina. A mente não consegue entrar em tribulação quando a tua companhia é tida.

Deus meu, queira prolongar tal prazer, de tê-la por longos tempos!

Além de amiga, tu minha princesa que mesmo tempestuosa, é a paciência que vai além dos meus limites, a paz que não me convém. Por outro lado, eu sou a segurança que tu não possui, portanto te faço um convite: Seja tu meus ossos para que eu seja tua carne e ambos completemos um ao outro quando até isso não quisermos! Até quando nos convier ser tal coisa um pro outro.

Perdoa-me quando eu cair, pois eu sou imperfeito e carnal. Tu és quebradiça, mas sensata para saber até onde deves realmente ir... Respeito gera respeito... Tu és como um jardim trancafiado cuja chave eu não tenho, pois eu sou o portão e estou tão preso quanto tu.

Mas veja bem, não idealizo nenhum mar de rosas, muito menos perfeição. Eu quero ter o prazer de brigar e discutir, mas me perdoe se eu em algum momento não for teu amigo, pois sou céu e inferno ao mesmo tempo. Isso no fim das contas é mais que aconchegante... Sim este romantismo não-utópico que possuo, me ajuda a sentir-te quente mesmo quando é tempo de inverno.

Eu vou enfrentar contigo os invernos de cada dia, mesmo quando tu não quiseres. Por algum motivo fui presenteado com uma personalidade naturalmente teimosa e perseverante. Seja forte porque eu vou ser bem mais quando precisares e também quando não, enfrente esses demônios e tenha a certeza de que a minha mão está contigo. Mais uma vez, note que não uso desse romantismo utópico, apesar de tudo ser prematuro e o nosso jeito bobo em tentar ver o que está além do obvio.

Quanta coisa eu já vi e escutei. Quanto machismo e pessoas possessivas com certeza tiveste o desprazer de conhecer e na certa quanto orgulho teve de ser engolido. Nós somos uma transição! Que amor sacrifical temos? Não é necessário dizer nada, muito menos demonstrar a todo instante. O teu olhar me basta assim como o meu toque também.

Eu não preciso te olhar pra saber o que queres. Eu não preciso (mesmo quando quero) estar contigo para que o meu zelo seja atendido. Ele é sutil e delicado jamais dominador e possessivo. Meu zelo é amigo, cheio de integridade que contigo eu quero compartilhar e só contigo. Meu amor, tu podes ser mais, confie em mim e se deixe proporcionar tal coisa. Eu não pretendo ser compreensivo (essa falsa compreensão a qual me refiro, superficial entende?), eu não pretendo passar a idéia de que te entendo, não mesmo, eu pretendo apenas estender meu braço e ser mais que acessível para ti, mesmo com tantos muros e cadeados!

Essa é a chance que recebemos de nos re-educar, em trancafiarmo-nos dentro dum Éden nos permitindo apenas viver e aprender sem se preocupar em interagir com o que estiver ao nosso dispor. Tenha coragem, não se feche para outras tantas coisas e sensações que vão somar e fazer tua mente fervilhar de idéias, todas esperando para serem concretizadas.

As muitas feridas saram essas em comum que possuímos, e tu sabes bem quais. Os infernos e invernos, perturbações são curadas a partir do momento que nos propusermos a isso. Perdoe-me se em algum momento eu não fui teu amigo, se em algum momento eu te fiz lembrar épocas negras, me perdoe se eu trouxe a tona meus próprios medos do passado. O tempo é curto e o prazo de vida é escasso, mas eu quero aproveitar cada segundo desse jardim guardado não só em mim, mas em ti também.

Realmente eu sou um bobo nato!

 

 

- Eu vou te esperar, minha alegria!

7 comentários:

Nanda Assis disse...

um bobo lindo!! amei seu texto, e sua musa, sua princesa, deve ser muito feliz ao seu lado. espero que sejam sempre um lindo jardim florido e de portas abertas.

bjosss...

Víctor Hugo disse...

porra kra feliz por ti !!!
belissimo texto!
nada melhor que o amor pra nos inspirar!um dia aprenderei e amarei alguem... por enquanto vivendo oq a vida me oferece!
abraço!

Monique Frebell disse...

"Sim este romantismo não-utópico que possuo, me ajuda a sentir-te quente mesmo quando é tempo de inverno."

Linda frase dita em tempo oportuno!

Adoro seus textos também, e suas visitas constantes..

Besos!

☆ Sandra C. disse...

nossa..
que coisa, hein..
e hoje tô tendo uma sorte para ler blogs apaixonados..
ahm.. enfim..

eu ia indicar a música Bachelorette, da Bjork... mas não sei o quanto dela cabe aqui.

:))

Ale Fialho disse...

Muito bom, meu caro!
Muuuuito bom mesmo!


:D

Tâmara Monteiro disse...

Acho que esse foi um dos mais lindos que eu já pude ler!

{meu pequeno serenata de amor}

Anônimo disse...

Por que nao:)