quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Seis asas

Os céus são mares suspensos.
E as ondas são o gás em forma de algodão.
Quem sou eu?
O que sou eu?
Existem vários “eus”.
Dentro de cada pessoa existe uma versão do meu “eu” e todas elas são verdadeiras.
Eu nado nesses céus de mentira na espera de ter asas... Seis asas como de um querubim.
Existem vários “eus” e ao invés de serem plural são singulares; versões de si mesmos, portanto singulares.

[...]

Ainda bato a porta
E tu por acaso vai abrir?
Só porque as várias versões de si mesmas te confundem e irritam... só porque as várias versões de si mesmas não te trazem a calmaria que a maioria deseja... só porque eu não sei o que realmente queres... apesar de tanta adrenalina misturados a lábios mudos e carinhos brutos, tenho apenas sorrisos e detalhes discretos.
Tentarei promover o conceito “Hail to the thief!”.
Só pra no final ver nesses olhos miúdos como se estivessem sempre com sono o esticar natural que um sorriso produz e a arcada dentária à mostra sem falar na úvula saltitante deixando claro que tudo é sincero.

[...]

Enquanto isso, eu vou voo nesses céus de mentira com minhas seis asas de papel celofane.

6 comentários:

Simples Assim... disse...

Acabo de comentar em outro blog que o que somos agora nada mais é do que uma versão do que fomos a um segundo atrás. Mas vc tem razão. Não é uma questão temporal. As versões coexistem, todas juntas, ao mesmo tempo. E oscilam no papel de dominante, de quem determina o caminho a seguir. Mas, ao menos no meu caso, a rebeldia é um traço comum a todas as versões inacabadas de mim, então, as dominadas, em geral, não se conformam, logo promovem uma rebelião e uma delas toma o poder que logo será tomado outra vez. No fim das contas, não sou mais que um campo de batalha... rs. Deve estar a explicação científica das minhas aparentes contradições. Está certo, não foi uma explicação científica, nem mesmo foi uma explicação. Apenas um devaneio...

Gostei daqui. Bjs.

Marcelo Mayer disse...

celofane derrete... vá com calma ícaro!

Mai disse...

Outro dia eu ouvi uma coisa genial: "a gente finge que obedece mas faz o que quer, quem manda é a gente..." e foi um papo longo. Mas não sei, fingir ou não fingir me parece uma outra questão à Hamlet, aos homens e mulheres, também.
Múltiplos eu's. Você está certo e a ambiguidade é uma evidência. Queremos ou não queremos? Amamos ou não. Du não dou e etc...

Homens e mulheres fecham portas, abrem asas e voam ou não.
Mas teu texto é muito bom, já te disse.

Abraços e bom final de semana.

Silvana Nunes .'. disse...

BOM DIA.
Em primeiro lugar gostaria de agradecer o carinho de suas palavras para com o meu trabalho, trabalho este que faço com muito carinho e dedicação para vocês, embora muitos e muitos problemas estejam por trás. O seu cantinho também é genial, adorei.
Contar histórias é um exercício fantástico, eu faço isso naturalmente. Na verdade todos nós temos um pouco de contador...
Bem, hoje a minha história para vocês é de DOM SEBASTIÃO - uma das minhas preferidas, espero que aprecie.
Volte outras vezes,
FOI DESSE JEITO QUE EU OUVI DIZER... terá sempre uma história para contar.
Beijo grande.
Que a PAZ e o BEM esteja sempre com você.
Saudações Florestais !

Desmanche de Celebridades disse...

Nunca acreditei muito na ambiguidade.....acho q precisamos descobrir de qual lado estamos afinal. A diferença entre o q é e o q queremos q seja. Os homens se enganam demais. Ninguem pousa em 3/4 da lua, ninguem aterrisa em 3/8 de venus.....a vida é assim, se quer pousar na lua, tem q pousar nela toda.
Otimo texto.

Simples Assim... disse...

Eu simplesmente adorei seu comentário. O seu jeito de escrever me fez ter a sensação de estar tendo uma conversa ao vivo com vc. Engraçado como às vezes a escrita "se verbaliza", cria vida, pula do papel (no caso, da tela). Além disso, a sua teoria sobre o amigo bicha e o amigo pode ser resume horas e horas de definições sobre a amizade homem/mulher. Se vc deixar, ainda uso isso num post.

Óbvio que não me importei de vc ter me linkado, muito pelo contrário, fiquei muito feliz. Vou te linkar também, não pra retribuir (porque não sou muito dada a gentilezas vazias), mas porque curti bastante o seu espaço.

Quanto a sua amiga pode ser, acho que deve arriscar, ou vc ganha a garota de vez ou fica muito claro que são só amigos mesmo e mais fácil de desencanar dela. Mas, tenho que avisar, não sou boa conselheira amorosa, minha própria vida afetiva é uma bagunça... rs.

Bjs !!!