terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Conversa... pra boi dormir e cego ver

Olha, eu sou péssimo em me expressar, por isso tenha paciência e apenas escute.
Saca, não sou lá muito convencional. Sou uma porrada de coisa ao mesmo tempo. Tanta coisa que me atrapalha, e, ao mesmo tempo me faz bem dignificando a alma.
Tem momentos que eu me pego pensando numa condição de extrema solidão. Como já havia dito, eu sou uma porrada de coisa ao mesmo tempo, logo, vejo essa situação quase constante como uma moeda e suas duas faces.
Entenda comigo como é divertida as minúcias. Às vezes me pego pensando como poderia ser bom estar vendo toda essa limitação que chamamos vida e conceitos plurais (heterogêneos e vazios por si sós), penso como é não estar inserido nessa bola que chamo de “bolha material do tempo e do espaço”. Sem coabitar em nada. Apenas não existir nessa realidade e vê-la de fora.
Olha, me desculpa se eu não fui a melhor coisa que já te apareceu. Penso que Papai do Céu foi muito legal quando pensou em moldar no ventre da minha mãe o ser que eu sou hoje. Mais legal ainda me dando situações condições pra sustentar tanta tosqueira e lutar por alguma beleza interna, aquela da alma.
De verdade, me desculpa se eu não fiz você sorrir quando a minha tentativa é só ser um pouco mais bobo e fazer bobeiras. Dessas que você faz uma musica pra alguém, ou mesmo, inventa decadentes apelidinhos, mas são esses mesmos apelidinhos tão indescritíveis e únicos para o lance em questão.
Desculpe-me pelo fato de eu ser o que sou, e pelo que não sou que naturalmente acabo sendo.
E enxergue com mais frequência a beleza que são as minúcias, os detalhes sórdidos e coloridos, jamais os cinzas, desmiolados ...
Mesmo que eu seja essa confusão, tente enxergar uma pontinha de sutileza, de entrega, de sinceridade, autenticidade e todas as “dades” possíveis.
Na verdade não tenho muita coisa pra dizer, porque sendo mais conciso contigo, quero mais é viver cada pedaço teu assim como quero que tu vivas cada poro, cada sorriso e cada palavrão por mim dito. Cada chatice e cada vontade que vem do nada em sorrir pra si mesmo e dentro de si mesmo.
Elimine os comentários dedutivos e pelo menos uma vez na vida faça o que eu te digo: esqueça o todo, o resto é resto apenas consequência do que é valor para ti. Tenha um foco, tenha uma prioridade, não se abandone e nem me abandone... Eu já sou lascado demais sozinho, quanto mais contigo.
É isso, não tenho muito pra falar nem sentir, mas tenho milhões pra viver.
Você, caso queira, me cutuca e vamos dar a cara à tapa... se não, me acompanha que eu te mostro e naturalmente convenço a querer dar a cara à tapa junto comigo.

Até que esse dia chegue, fique em paz e passe a diante toda carga carregada de emoções e pensamentos desenfreados.

3 comentários:

nay disse...

sabe de uma coisa... gostei desse... =D

Will disse...

! MB!!

beatriz disse...

nossa...
só posso descrever dizendo:
BEM MARCOS!