terça-feira, 29 de julho de 2008

Deixa Assim Como Está Sereno

Se a dor que me move a escrever, se o acaso que me leva a duvidar me afastarem de Ti, amaldiçoa meus textos. Por mais bonitos, apaixonados e devotos que eles sejam, mas se antes de tudo servirem como instrumento de negar a Ti, amaldiçoa eles!

Eu já confundi demais as coisas nessa curta vida que tenho, me desesperei por tão pouca coisa, sinto falta de tanta coisa, até daquilo que eu não tive. Apaixonei-me, amei, fiz de tudo que devia e não devia, a custo de que? Para que? Por quê? Isso não me faz melhor, merecedor de certa pessoa, de seu carinho, afeto, de sua memória! Hoje eu enxergo que estou totalmente livre do que me prendia mesmo sendo o motivo mais bobo e infantil de todos. Sinto falta, não minto, sempre irei sentir falta porque ela foi a primeira, e fez jus ao que sempre desejei que fosse, só não teve o fim que esperava que tivesse!

Com meus erros eu aprendi e reconheci que eu sou um simples ser humano dotado de algum conhecimento, um raso conhecimento que por acaso dizem ser ótimo, lindo, apaixonado, excêntrico. Eu não sou nada se não um simples cara com alguma coisa na cabeça, mesmo que essa alguma coisa seja loucura e puro impulso para mim mesmo!

O caminho persiste, tenho muito a crescer, a ser, a amadurecer, a vida não pára por conta do “não” de uma pessoa que feriu os meus sentimentos. A vida não pára simplesmente porque o que eu tanto almejei veio a acabar de uma forma brusca e sem reais motivos! Desde o começo eu pedi que Ele estivesse no comando de tudo, e, se isso tudo aconteceu é porque Ele realmente estava e está no comando.

E eis que tudo se fez novo não é mesmo? Amanhã é um novo dia. A esperança o amor, a confiança, a dedicação incondicional sempre irão existir, seja para você ou não. Você sabe quem! Eu estarei aqui, disposto... Você estará?

Desabafo, momento desabafo, a volta aos dias normais do cotidiano, a guerra diária em firmar o meu espaço, meu modo de ser e pensar, admirações vem aos montes a todo tempo, me preocupar por quê?

"Pois é, não deu
deixa assim como está sereno
pois é de Deus
tudo aquilo que não se pode ver
e ao amanhã a gente não diz
e ao coração que teima em bater
avisa que é de se entregar o viver

Pois é, até
onde o destino não previu
sem mais, atrás vou até onde eu conseguir
deixa o amanhã e a gente sorri
que o coração já quer descansar
clareia minha vida, amor, no olhar.".

Um comentário:

Mary West disse...

Descreveste tudo neste texto, parece até um senhor de 90 anos. A estrada davida é assim mesmo, cheia de falhas, buracos e truques. Cabe a nós o poder de aprender a desviar na hora certa. ;)