quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Porque o Espanto Irmãzinha?

Velocidade
Mais velocidade
Deixe tremer
Deixe zunir.

Escutando “Die Buying”
Vendo o branco dos carros
O zunir do ônibus
A fileira derradeira de ansiedades
Bombardeando minha neurótica mente
Porque as motivações são apenas:
A essência
A psique
O ser
O não ser, a intolerância, perdição, inteligência
A vontade insaciável de ter nos braços
Ou de odiar o que não dá para odiar.

Os carros continuam zunindo
Agora ao som de “Across Waters Again”
Nada mais me satisfaria se não um pedaço de pau para te cutucar
Minha ansiedade se transformou em loucura
Eu me transformei na mentira em pessoa
Porque eu amo brincar
Sufocar, roubar, criar discórdia
Transformou-se em prazer sem medida
Pois ainda sinto os fogos santos caindo do céu
Fogos de amor celestial que limpam e saram feridas.

É errado querer para si
Um desejo em especial e que este me materialize?
Prostrar-se diante da cama e falar sozinho
O silêncio ecoa num quarto escuro
O teto é meu confidente
“I thought about fire in the sky... Thought about love burning in your eye”
(Berros)
A velocidade ainda insiste em pertubar a ordem
Temos uma cultura e todos devem segui-la
Ser diferente trás sérios prejuízos
Será?
Quem me dera ter uma gota desse sangue da normalidade
Meu coração não permitiria
O que tanto anseio explodir
Martelar
Extravasar.

Cada ser em seu carro
Cada ser em seu banco de ônibus
Todos apáticos possuidores das mesmas verdades
Que insistem em levantar estandartes
Que insistem em querer se rebelar
Festas
Carros
Bebidas
Drogas
Oxente Oh! Shit
Deus tenha piedade.

O que é diferente te causa tesão?
Arrepio?
Curiosidade?
Eu te faço odiar?
Sonhar?
Beijar-me?
Ou simplesmente nada?
Que porra! Fale algo!
Toque-me
Pense
Enjoe-me, mas me toque
Não olhe para mim, mas para Mim
Existem muitos mins em Mim
Felizmente todos eles levam ao extremo o meu ser
Que insiste em filosofar vendo uma janela de ônibus
Contemplando teses mortas
Que não te merecem
Que dizem te amar
Mas que me fazem cansar
Surtar e te desejar ainda mais.

Durma bem esta noite
Passe bem o dia
Sorria para mim, por favor
Abrace-me, não me escreva
Toque em mim, não me determine
Santifique-me mais uma vê
Pois eu sou o diabo que vem para matar e roubar
Apenas durma bem esta noite
Sorria para mim amanhã
Supere mais essa
Enquanto eu penso isso tudo em cinco minutos
Vendo o branco dos carros
O zunir do ônibus
Pois quanto mais velocidade
Mais próximo do poste ali na frente eu fico.

2 comentários:

Víctor Hugo disse...

otimo texto...fodastico...do meu estilo, seco sarcastico e ainda mais simpatico!!
faloz budzz!!!
hee vai trabalhar!!!!
hehehe

José Wilson Carvalho de Mesquita (Vulgo: Will) disse...

Muito bom! Altamente visual!!