quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

Sorrisos

Ao som de "Play the Part" da Little Joy




Eu começo assim:
Com uma gargalhada
Olhando e tocando o céu
Imaginando-me flutuando mundo afora
Como dormir em grandes braços
E deixar meu corpo, assim, leve... Leve!

Eu vejo você
Em pequeninas estrelas
Dessas que grudam no céu da boca
Fazendo tudo ser mais brilhoso
Mais colorido
Ou quem sabe límpido
Numa leveza que dá gosto de sentir
Mais saborosa que um cochilo em rede
Em uma varanda
Com um vento pra lá de divino.

Eu me entrelaço no meio assim:
Discussão, derrota, solidão
Insistência, abrangência, descoberta
Ceticismo, devassidão, ingratidão
Meu corpo virou um banheiro público
Mas eu ainda olho estrelas
Ainda toco o céu
Estrelado numa boca imaginária
Sempre antes de dormir
Se sinto saudades? 
Claro, todos os dias.

Eu finalizo assim:
Volta aos velhos tempos
Daquele amor colérico
Daquele amor indiferente
Porém raro
Aquele amor solitário, jamais platônico
Apenas esperançoso, pra alguém cético
Birrento...
... É de se entender o amor, é de se viver o marasmo
A subjugar os desejos, pôr a prova o espírito
Insistir no sonho
Insistir na razão
Que teima em me fazer cair.

Eu agora, como estou?
Estou:
Numa rede imaginária, numa varanda imaginária
Com cordas de violão estatelando logo ali
Minha alma voa longe
Esperando um bom porvir
Descobri maldade no meu ser
Descobri hedonismos fora do que possa suportar
Porém ótimos de se sentir e executar
Feliz com a rotina que me aprouver
A vida enfim é uma caixinha de pandora
Mas também de bons retalhos
Esperando serem costurados, re-aproveitados
Jamais o senso comum
Jamais palavrinhas tolas que sei e espero escutar
O novo não existe
O novo é utópico
A vida enfim brinca de ser autêntica comigo
Que mais devo esperar?
Teu sorriso ilusório, imaginário?
Sim, sim, é uma brincadeira sem graça essa
Mas que posso fazer?
(Bons risos, como quem lembra das várias ironias ditas.).

6 comentários:

Chirifulfly disse...

Nossa, adorei isto. Um texto belo e indiferente!

Nadezhda disse...

"Eu agora, como estou?
Estou"

Nesse estado geralmente se está, mesmo nãoe stando nada.

;)

gabi disse...

Viajei muito nesse texto! mesmo sóbria e lúcida.

Mara disse...

"É de se entender o amor, é de se viver o marasmo
A subjugar os desejos, pôr a prova o espírito
Insistir no sonho
Insistir na razão
Que teima em me fazer cair."


Me ganhou ;)
adorei.. adorei.. imensamente =)

Lua. disse...

"Eu vejo você
Em pequeninas estrelas
Dessas que grudam no céu da boca"

Nunca pensei em expressar o que eu sinto em poesias tão 'suaves', as minhas geralmente eram carregadas que dóia ler.

Obrigada pelos elogios :D
Bgs

:::Carulhina::: disse...

"Eu começo assim:
Com uma gargalhada
Olhando e tocando o céu
Imaginando-me flutuando mundo afora
Como dormir em grandes braços
E deixar meu corpo, assim, leve... Leve!"

Perfeito!

gargalhadas mil: adoro!

bjoks