terça-feira, 13 de outubro de 2009

Quase uma fadiga

Cá estou eu mais uma vez escrevendo minhas lembranças
E me lembro agora que já comecei algo em outro tempo qualquer, da mesma forma
Sabe?

Cá estou eu recordando de alianças feitas
De pactos mal sucedidos
Sem nenhum remorso, porque como o próprio Nietzsche diria
“O remorso é indecente”, como se eu curtisse Nietzsche... Nem um pouco
Mas a afirmativa do cara é relevante.

Enfim...

Cá estou eu tentando pôr em prática coisas que eu poderia conseguir
Isso se existisse no mínimo um pouco de disponibilidade
Na verdade tal coisa até existe
Não existem são forças
Não existe uma pessoa que pudesse ajudar a dar coragem a essa vontade
Não existe é algum tesão ou relevância sentimental-idealística para sustentar algo.

Como versos longos e frases grudentas
Cheias de lamentações que não são lamentações
Eu prefiro me calar e observar os tratos que deveria cumprir
Os contratos que deveria relevar
O Deus que deveria respeitar
O amor que deveria insistir mais um pouco em sustentar e acreditar
E todos os outros verbos que pudessem aparecer por aqui para conjugar.

Tô cansado, tô mesmo
Lutar se transformou numa fadiga
E o Apóstolo Paulo estava certo ao dizer
Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço”.

7 comentários:

Marcelo Mayer disse...

lembranças hj viram fotos num pen-driver

Paa Candido! disse...

é querido, às vezes oque nos falta é aquele impulso, e que difícil encontrá-lo!

bjinho! *;

Monique Frebell disse...

Mas a luta é justamente contra esse cansaço, contra esse desânimo, contra esse deixar de acreditar.

"Combati o bom combate, acabei a carreira e guardei a fé."

Será que vc poderá dizer isso um dia, como o mesmo apóstolo Paulo disse, se nem ao menos a luta contra a própria carne você quer travar?

Ainda que as suas forças estejam pequenas, é na fraqueza que a graça de Deus se aperfeiçoa.

Não desista agora, não desista nunca. Mesmo tendo pouca força, guarda a palavra do Senhor e o seu contato com ele.

Ele te ama e não desiste de você.

Bjo da sua irmã em Cristo, Monique.

Monique Frebell disse...

"Não existe uma pessoa que pudesse ajudar a dar coragem a essa vontade"

Agora existe. Eu.

Pode contar comigo sempre.
Fik na paz.

nane-chan disse...

Olhar para trás e ver milhares de planos não-realizados é deprimente. Não ter entusiasmo o bastante para sustentar novos planos é mais deprimente ainda, mas vendo por outro lado: é essa dificuldade que deixa a vida mais interessante :D
Afinal, o mundo está em constante transformação e uma hora ou outra tal fadiga vai passar.

bjs

Lua disse...

"Como versos longos e frases grudentas
Cheias de lamentações que não são lamentações"

Céus, pensou em mim quando escreveu isso?
HAHAHAHA


Te adoro!
Bjs :*

Brenda Maciel disse...

Só de reconher e trasportar isso tudo para um texto é algo que deixa a leitura mais interessante, até porque não é só você.
Juro, Todos nós.
Ah, não disse isso num tom amedrontador, mas é que é mais bizarro do que simples. E essas coisas são mais coletivas do que a gente pensa.
De qualquer forma, se desistirmos ainda com o ar a passar pelos pulmões viramos suicidas ambulantes.
Beijos! Te espero no meu blog : D obrigada pelas visitas.